Newsletter
Ciência e Cultura - Agência de notícias da Bahia
RSS Facebook Twitter Flickr

Busca: SUS

SISTEMA DIGITAL Fiocruz Bahia lança Plataforma de Tecnologias para o SUS

O programa proporcionará soluções tecnológicas, com emprego de tablets conectados à rede móvel de dados ou ao ponto de acesso Wi-fi, com aplicativos (Apps).

VII Simpósio Brasileiro de Doença Falciforme

Entre os dias 20 e 23 de novembro acontece em Salvador o VII Simpósio Brasileiro de Doença Falciforme (DF). O evento acontece no Centro de Convenções da Bahia

ACESSIBILIDADE A Educação Inclusiva para as Pessoas com Deficiência

Mesmo com o decreto de 2009, muito alunos ainda têm dificuldades de permanecerem nas salas de aulas. Isso em parte se deve pelo despreparo dos professores no trato a pessoas com deficiência.

ACESSIBILIDADE O SUS e a acessibilidade das pessoas com deficiência

todos os níveis de assistência, o SUS tem apresentado lacuna no que diz respeito à ideologia do sistema e a sua praticidade.

ESPECIAL SUS: ÚLTIMA PARTE O entrave do modelo de assistência à saúde

O resultado das pesquisas de opinião é sempre o mesmo: os maiores problemas do Sistema Único de Saúde (SUS) estão na assistência. Faltam médicos, o atendimento é demorado e há carências nos atendimentos mais básicos. A solução vai além do aumento de recurso financeiro. Para pesquisadores resolver os problemas da assistência envolve mudar as práticas de gestão e o próprio modelo de atenção à saúde.

ESPECIAL SUS: PARTE 4 O controle das doenças

O Brasil é composto por 27 unidades federativas, 5.565 municípios; mais de 190 milhões de pessoas. Como acompanhar o que acontece com a saúde dessa população? Saber as doenças mais perigosas, qual população é mais vulnerável a elas, e as ações necessárias para seu controle? Através de um grande banco de dados. Essas redes de informações fornecidas por notificações, investigações diárias e pesquisas constituem a ferramenta mais importante da vigilância epidemiológica, área que faz o controle de quais doenças nos colocam em risco. Isso inclui as doenças não transmissíveis, como hipertensão, obesidade e diabetes; doenças infecciosas, em sua maioria, mais controladas e menos causadoras de mortes, mas com desafios, como a dengue; e até as mortes por violência e acidentes, a terceira causa de mortes no país.

ESPECIAL SUS: PARTE 3 A vigilância do mundo

Tomar banho, escovar os dentes, tomar café da manhã. Ao fazer cada uma dessas atividades você está usando o Sistema Único de Saúde (SUS). No resto do dia, não é muito diferente. Isso porque há uma área do SUS responsável por evitar riscos à saúde, o que inclui a fiscalização de medicamentos, água, cosméticos, alimentos, e até o trânsito em portos e aeroportos. Essas são só algumas áreas que estão sob as ações da vigilância sanitária. Ao longo da história sempre houve um esforço para o controle da segurança e qualidade de alimentos, de medicamentos e das chamadas práticas de cura. As ações de fiscalização já existiam antes da criação do SUS, como parte da saúde pública praticada antes do sistema. Mas com sua criação, ficou definido na constituição que essas ações são ações de saúde.

ESPECIAL SUS: PARTE 2 O maior impasse do SUS

“É a política o motivo da diferença entre o sonho do SUS e a realidade”. A afirmação da médica e assistente social Kátia Maia, trabalhadora de um posto municipal de saúde, é a mesma de vários estudiosos brasileiros. O principal desafio do Sistema Único de Saúde (SUS) é político. Ao afirmar que a saúde é um direito de todos e um dever do estado, a constituição deixa claro que é o estado quem deve garantir os recursos financeiros necessários para que todos os brasileiros tenham acesso à saúde. E a decisão de quanto, como e qual parte do dinheiro cabe a cada esfera de governo é motivo de discussões e pressões políticas há anos. Em janeiro de 2012, a Emenda Constitucional 29, que dispõe sobre cada uma dessas questões, foi sancionada. O resultado foi considerado insatisfatório pelos militantes do SUS.

ESPECIAL SUS: PARTE 1 Você conhece o SUS?

Você já deve ter ouvido falar que o Sistema Único de Saúde (SUS) é considerado um dos melhores sistemas de saúde pública do mundo, um modelo que vários países querem copiar. Mas não, a proposta desta série não é afirmar isso. Tampouco que as críticas a ele são infundadas, há sim muitos motivos para reclamar. Só que isso não quer dizer que o SUS seja um sistema ruim. Parece contraditório, mas a verdade é que o SUS é assim: contraditório, cheio de vitórias e fracassos e injustamente desigual. O que você vai ver nessa série de matérias é um lado do SUS pouco conhecido pela maioria dos brasileiros. A luta e a revolução no conceito de saúde que possibilitaram a criação de um dos maiores sistemas de saúde pública do mundo. O que está por trás dos seus problemas, um embate político que dura anos. E as áreas não conhecidas como parte do sistema, ações de cuidado e proteção da sua saúde, muitas vezes invisíveis, mas que fazem com o SUS esteja presente nas mínimas ações do seu dia a dia. E com que todos sejam usuários do sistema.

Sistema de saúde brasileiro: contradições e desafios é tema do Café Científico Ufba

Temática será abordada pelo professor do Instituto de Saúde Coletiva Jairnilson Paim. O Evento é gratuito e não necessita de inscrição